Arquivo da tag: Evangelho

Não, obrigada

{Para ouvir enquanto lê}

Eu não estou interessado em um evangelho que mede saias, não muito obrigada. Mas também não estou interessada em um evangelho que não custa nada, porque, bem, ele não é real. Eu não quero inventar uma Bíblia que fala apenas o que eu quero ouvir, não obrigada. Eu não estou interessada em um avivamento apenas de chapação. Se não for para impedir uma mulher de apanhar, não me chamem. Eu não quero saber das suas intervenções militares e das suas ordens para o progresso. Eu quero falar dos ferrados das ruas, não me chamem para comícios de políticos que apoiam as armas que vão mata-los. Eu quero ver as salas de aulas, as varas de justiça, os laboratórios e seus tubos de ensaio, os hospitais e as esquinas cheias Dele. Eu quero ser o ombro das putas e quero ser seu pior inimigo quando você chamar qualquer uma delas desta forma; eu quero os motoristas de ônibus e os desembargadores, não eu não quero os santos e os cheios de si. Eu quero os impuros, como eu, os marcados, como eu, os que lutam com a própria cabeça todos os dias. O meu tempo, agora, está longe das conferências de relacionamento cristão, eu estou dentro da solitude de mim, lutando com coisas diferentes do que esperar. Coisas como o abuso que milhares de garotinhas sofrem por dia, garotinhas que como eu vão precisar de tempo para engolir a bola de pelo que foi enfiada em suas goelas a baixo. Eu quero aquele que julga e tem coragem de pedir ajuda, não quero quem finge não julgar. Eu quero os que se machucam e choram, porque dói, dói pra caramba levantar da cama alguns dias. Se você me chamar para sorrir e falar da moral deste mundo, me perdoe, eu precisarei inventar uma desculpa para não ir. Porque você pede pelo reino dos céus, mas, na verdade, quer a vigência dos princípios deste mundo que não te chocam. Eu fui feita para o silêncio, mas não se engane, eu não fui feita para ficar quieta. Eu não caibo dentro de quatro paredes. Eu sou a minha voz, que grita nas segundas-feiras pelas minhas mulheres machucadas, eu sou o texto que fica na internet enquanto o apocalipse não varrer tudo. Eu sou a revolução em um ponto de ônibus quando falo sobre eternidade e não sobre religião. Eu sou o que a crença banal não conseguiu conter: a igreja. Totalmente sem rejuntes. Eu não estou interessada em conversas pseudoespirituais que escodem comportamentos, não obrigada. Eu quero o feio, o sujo, o doente. Porque se eu, a pessoa mais universalmente perdida, um dia fui achada, qualquer um pode ser.

Qualquer

 um

pode

ser.

A verdade é Jesus e a gente não precisa enfeitá-la. Ser santo como Ele é. Amar como Ele amou. Perdoar como Ele perdoou. Entregar-se como Ele se entregou. E se entrega. Diariamente. Eu não estou interessado em um evangelho que fale sobre outra coisa a não ser sobre Ele.

Se não for sobre Jesus, não me chamem, muito obrigada.

 

 




PS 1: Este texto não tem a intenção de ofender ninguém, mas tem. Porque enquanto nos focarmos em nós e em nossas picuinhas crentes, o mundo roda o mesmo. O avivamento não é apenas para a nossa igreja física, mas é também para ela… E recebereis poder para. PARA. PARA. O poder sempre vem PARA um propósito , totalmente voltado para uma missão, SUA MISSÃO. Como você está usando o poder que recebeu hoje? Eu espero que você esteja transformando o mundo que te envolve, porque se não está, não minta para você mesmo, alguém está. Israel, marche pelo mundo e tome a terra que o Senhor já te ofereceu como herança. Saia curando, levando a salvação, dando razões para que a criminalidade diminua, para que as mulheres não sejam vítimas em seus lares, para que as crianças possam conhecê-Lo e amá-Lo antes mesmo que seus dentes de leite caiam. Israel, por favor, faça alguma coisa!

PS 2:  Um cheiro para todos vocês – para mantermos um nível de amorzinho no post hehe    ( :




Esquema de sempre: você pode me encontrar através do meu email (nataniacarvalho@gmail.com), da página do blog no Facebook, ou do meu Instagram =D
Anúncios

Ode aos amigos e suas Sessions

{Para ouvir enquanto lê}

Esses dias, uma  amiga e eu estávamos conversando sobre o que é realmente ser cristão – ela católica, eu evangélica- em um mundo pronto para aceitar todo o bem, mas ligeiro em recusar o compromisso. Nós chegamos a uma conclusão: o evangelho não é fácil, e quando te vendem um que só possui placas de neon atrativas, alguma coisa está errada. A Bíblia nunca foi de letras miúdas no fim do contrato, ela sempre foi muito clara: compromissos te exigem algo.

Alguns dias, o evangelho exige todo o domínio próprio que há em mim. Outros, ele exige que eu encontre uma escada e entenda a situação de um lugar mais alto. Todos os dias ele me pede para que eu me coloque no lugar do outro e que nunca me esqueça das leis de Deus.

O evangelho é uma caminhada de sempre se certificar de que sua lamparina ainda tem óleo. É uma caminhada de não se esquecer que há uma lamparina nesse mundo de tantas ocupações e crises.

Eu sei que esse não é um começo de texto muito atrativo, mas precisamos parar de nos esconder das coisas. A vida não é editável. A gente passa por todos os problemas de se comprometer profundamente com o Reino acordado, sem poder cortar nenhum deles ou adiantar suas velocidades. Mas você sobrevive, porque sua lamparina está acesa. As pessoas tem medo de falar sobre essa parte, medo de viver essa parte. Contudo, é necessário que falemos, porque o evangelho não é uma igreja de atividades, ele é força para amar a Jesus acima de tudo. E acima de tudo envolve muita coisa.

Quatro parágrafos apavorantes? Não, eles se resumem a uma só pessoa: Espírito Santo. É por meio dele que tudo é mais do que palatável,  tudo é bom! Olhar para Ele faz tudo fazer sentido. Senti-lo é a certeza de que o mundo pode passar  – inclusive passar sobre você -, mas Ele fica. Ele é casa. E a sensação de pertencer ao Espírito faz qualquer coisa valer a pena. Nada é como quando Ele se choca sobre nossos peitos. Nada. Nem a maior alegria. Nem a melhor universidade. Nem o melhor emprego. Nem a pior tristeza. É inexplicável. Não há metáforas. Não há poemas. Não há amor como esse. Não há abraço como o Dele. Não há beijo ou cheiro. Nada nunca poderá se comparar ao Espírito Santo de Deus.

E é por Ele que caminho com minha fé todos os dias. Bons ou ruins.

Este é um texto feito para agradecer aos amigos que me ajudaram a buscar o Espírito com suas reuniões de adoração. Atos 2 é real! Sim, real nos dias de hoje! Deus vai cuidar de vocês e dos seus corações sedentos. Sejam cheios Dele, como nós fomos em tantas e tantas Sessions.

orai uns pelos outros, para que sareis. A oração feita por um justo pode muito em seus efeitos.
Tiago 5:16b


Esquema de sempre: você pode me encontrar através do meu email (nataniacarvalho@gmail.com), da página do blog no Facebook, ou do meu Instagram =D

Porque hoje é dia do beijo (ou: Sobre se apaixonar por Jesus)

{Para ouvir enquanto lê}

beijo_000000

Hoje é dia do que? Sim, você leu o título e sabe que a resposta é do beijo – embora para mim tenha sido dia de descobrir que estou com dengue e o mistério das minhas dores no corpo ser desvendado (Agatha Christie das doenças tropicais).

A Bíblia é um livro dos mais românticos… E eu não estou falando de Salomão e todos os seus elogios peculiares. O evangelho é, para mim, uma declaração de amor. Mateus, Marcos, Lucas e João escreveram, juntos, uma grande carta sobre se apaixonar.

Você já parou para pensar que esses quatro homens eram apaixonados por Jesus? Calma lá, quero voltar mais um pouco: você já parou para pensar que Jesus era um cara normal nessa época? Ele não tinha filmes, fama, quadros… Ele era apenas um nazareno não caucasiano, queimadinho de sol e dono de palavras justas e doces. E foi necessário que esses homens conhecessem a ele. Foi necessário que esses homens fizessem perguntas bobas sobre o reino e sobre ser grande dentro dele – porque ninguém nunca as tinham feito antes. Foi preciso que esses homens dividissem casa, comida e um barco quase naufragando para que algo dentro de seus corações fizesse click e eles pensassem: caramba, eu amo esse cara.

Se apaixonar por alguém não é um processo rápido. Mateus levou 28 capítulos para nos mostrar isso. Eu aprendi que você vai encontrando pequenas trilhas nas pessoas até encontrar, verdadeiramente, seus corações. Eu imagino Jesus fazendo esse tour pelo interior de Pedro, até achar o coração pulsante aonde a igreja iria se apoiar. Jesus faz isso conosco. Ele desentulha nossas estradas para entender o que é o amor. A cada dia que entendemos mais um pouco, tudo muda. TUDO MUDA. O amor de Jesus me fez mudar minha ideia de amor. E amar a Jesus me fez mais amorosa.

Acredito que quanto mais os discípulos conheciam Jesus, mais eles o amavam. Sabe quando você admira alguém a ponto de, sem perceber, decorar a forma com que ela se move ao redor das outras pessoas? Você sabe como ela ri, sabe como ela conversa, você sabe, até mesmo, que ela se mexe de um lado para o outro quando ela ora. Os discípulos deviam ser assim. Saber o sotaque de Jesus, saber a sua comida preferida, saber como era seu sorriso depois de um milagre.

Um dia ouvi que o amor de Jesus era a única coisa que podia colocar nosso interior no lugar. Eu estava em uma fase blé quando me disseram isso, há alguns anos, e por mais que soubesse que a frase era verdade, não entendia como colocar em prática. Bem, acontece que eu amava a Jesus, mas ele queria me ensinar a amar segundo o seu amor. Não apenas para corresponder a Ele, mas para que eu pudesse amar aos outros com o mesmo amor.

Sabe alguém na Bíblia que eu creio que amava a Jesus com o amor que vem do próprio Jesus? A mulher que lavou os pés do Senhor na casa do fariseu:

 E, voltando-se para a mulher, disse a Simão: Vês tu esta mulher? Entrei em tua casa, e não me deste água para os pés; mas esta regou-me os pés com lágrimas, e os enxugou com os cabelos de sua cabeça.

Não me deste ósculo, mas esta, desde que entrou, não tem cessado de me beijar os pés.

Não me ungiste a cabeça com óleo, mas esta ungiu-me os pés com unguento.

Por isso te digo que os seus muitos pecados lhe são perdoados, porque muito amou; mas aquele a quem pouco é perdoado pouco ama.

Lucas 7: 44 – 47

Que passagem incrível! Mesmo com a cabeça latejando – dengue é muito divertido, amigos – eu consigo pintar a reação desta mulher diante das palavras de Jesus. Eu consigo vê-la beijando seus pés. E de passagem em passagem, beijo em beijo, vamos nos tornando cristãos no mais íntimo dessa palavra: amor.

Conversas com meu Beatle favorito (ou: Todas as coisas deste mundo vão passar)

geor

Hoje eu acordei meio George Harrison, meio com cara do disco All Things Must Pass. Você já sentiu aquele estalo na cabeça no meio do dia? Aquele estalo perturbador:

esse tempo não vai voltar

Esse tempo em que estamos nos estressando, gritando por causa do papel que sempre trava dentro da impressora – e da mancha preta que pula para a roupa quando você tenta mexer nela – esse tempo já era. Esse tempo em que passamos fazendo pequenos jogos para não amar quem realmente amamos e não perdoar ou pedir perdão tentando segurar aquele fio da reclamação diária sobre como a vida pode ser injusta, bem esse tempo nunca mais vai voltar.

Nesses dias, o evangelho faz sentido pra caramba. Ele grita na minha cara. Ele me pergunta: em que você tem sido diferente das pessoas que vivem, riem e se desesperam apenas por este mundo? A hipocrisia de cantar que desejo viver para Jesus na noite anterior, na igreja, e a vontade de querer viver por mim na manhã seguinte.

Não, Deus, eu não quero viver por mim. Não quero viver por coisas que vão passar. Aumento o volume e ouço Geor(ge), meu Beatle favorito, me afagando: That is not what you are here for.

– Exatamente, George – confirmo, balançando a cabeça.

#TVHilário 3, Vamos para a Hillsong College com a Ev? [POST ATUALIZADO!!!]

{Para ouvir enquanto lê}

Hoje é sexta-feira (não vou fazer a piadinha da música sertaneja, de nada) e tem #TVHilário! Este é o terceiro episódio da série no canal – que nasceu como o blog: para dividir o Reino com meus amigos, conhecidos  -, e hoje ele está cheio de amor e despedida!

Seguindo o tema do mês – Evangelho na mochila (leia os outros textos: 1 e 2) – o #TVHilário de Janeiro é uma conversa com uma amiga lindja, que atende por Evelin, Evelinda ou Ev, que está a poucos dias de ir para a HILLSONG COLLEGE (inserir gritinhos eufóricos aqui)!

A Evelin é uma daquelas pessoas que fazem você sorrir até que suas bochechas comecem a pedir ajuda. Ela vem sonhando em aprender mais sobre adoração com a Hillsong desde os 14 anos e hoje, com 22, ela vai partir para a terra dos cangurus para dançar e servir nos cultos gringos.

O Canguru John já está com a mala pronta (:
O Canguru John já está com a mala pronta (:

Nós íamos seguir uma ordem de entrevista e todas essas coisas que eu aprendi na faculdade, mas a conversa ficou boa e o resultado está aqui embaixo. Dúvidas sobre a Hillsong College, ampliar nosso horizonte para adoração e carta de Hogwarts? Dê play!

A Hillsong College é realmente o pacote completo, você vai levar o evangelho na mochila ajudando nas atividades extras da igreja e servindo nos cultos e, também, vai desenvolver seu entendimento de evangelho nas aulas.

[ATUALIZAÇÃO]

>> Grade curricular do curso de Dança da Hillsong College

Ev é uma cumpridora de promessas, minha gente. Sabe tudo o que ela nos prometeu no vídeo? (Se você não sabe, volte e dê play) Ela me mandou tudjinho!

Para quem sempre teve dúvida sobre as matérias ministradas na faculdade de dança da Hillsong, as disciplinas vão desde técnica de evangelismo pessoal até nutrição e coreografia. A grade é dividida entre temas centrais (Core Subjects), matérias comuns a todos os alunos dos quatro streams – pastoral, dança, adoração e mídia -, que focam no ensino da Bíblia, ministério, liderança pessoal, e as disciplinas específicas do curso de dança (Dance Stream). Confira:

– Temas Centrais

Novo Testamento – Introdução: os livros, temas e eventos do Novo Testamento em seu contexto cultural e histórico são introduzidas juntamente com a sua aplicação e relevância hoje. (48 horas)

Velho Testamento – Introdução:  os livros, temas e acontecimentos do Antigo Testamento em seu contexto cultural e histórico são introduzidas juntamente com a sua aplicação e relevância hoje. (48 horas)

Doutrina Cristã: explora algumas das principais doutrinas da Bíblia com o objetivo de construir uma base sólida de verdade para a vida cristã e ministério. (40 horas)

Vivendo Cheio do Espirito Santo: é introduzido  a pessoa e obra do Espírito Santo, incluindo uma investigação sobre o batismo no Espírito, os dons espirituais e ministrar no poder do Espírito Santo. (16 horas)

Liderança Pessoal: introduz princípios de liderança espiritual e é projetado para ajudar o aluno na construção de um caráter divino para a sua vida como um líder cristão, tanto espiritual quanto praticamente. Abrange questões críticas, incluindo integridade, valores fundamentais, vida saudável, relacionamentos e finanças. (68 horas)

Evangelismo pessoal: tópico personalizado para equipar os alunos com as habilidades e compreensão para compartilhar o Evangelho de forma eficaz em uma ampla gama de configurações, a partir de relações pessoais para a esfera pública. (16 horas)

Trabalho em equipe:  treina o aluno com as habilidades e conhecimentos necessários para trabalhar com sucesso em um ambiente de equipe. (77 horas)

Comunicação no Ministério: ensina o aluno com as habilidades e conhecimentos necessários para ser capaz de se comunicar com sucesso em ambientes de ministério. (97 horas)

Igreja e Ministério:  são introduzidos, a partir de uma base bíblica, aspectos do ministério da igreja e da cultura, incluindo como fazemos a igreja relevante hoje. (91 horas)

– Disciplinas de Dança

Introdução à Dança no Ministério: esse tema apresenta-lhe a dança como um ministério dentro da igreja local. Ele explora os fundamentos bíblicos e teológicos para a dança como um ministério e forma de culto e de expressão criativa. Ele também investiga as dimensões práticas de um ministério de dança dentro do culto e da vida criativa da igreja. (51 horas)

Fundações técnica de dança, desenvolvimento e repertório: abrange uma variedade de estilos de dança, com foco na técnica básica, de expressão e de desempenho em particular para cada estilo. Esses estilos podem incluir ballet, jazz, contemporâneo e hip hop, entre outros. Você vai aprender a identificar a relação entre técnicas de dança e acompanhamentos musicais, bem como os diversos aspectos históricos e culturais que influenciam cada estilo de movimento particular. Você irá desenvolver e aplicar conhecimentos e habilidades na dança prática, assegurando ao mesmo tempo a prática da dança segura. (96 horas)

Coreografia 1 & 2: treina os alunos com as ferramentas e habilidades da coreografia profissional. Você vai pesquisar coreógrafos de renome e aplicar componentes estruturais do movimento, a fim de comunicar a mensagem criativa. Você também vai criar trabalhos coreográficos curtos de seu próprio país e incorporar a sua ampla gama de conhecimentos de dança em suas composições. Esse tópico ensina a “pensar fora da caixa” e gerenciar momentos criativamente desafiadores. (32 horas)

Dance Performance 1 & 2: Essa classe ensina as habilidades de desempenho e técnicas da psicologia de desempenho, para  dotar o aluno com as habilidades para se comunicar em muitos níveis. Você vai aprender uma variedade de estilos de dança usados ​​em diferentes contextos, a fim de aumentar as habilidades de desempenho. Você também vai atuar em uma variedade de configurações para ganhar experiência prática e ao vivo. (32 horas)

Anatomia da dança & Nutrição Este assunto ensina você a ter uma abordagem holística para os seus estudos de dança, auxiliando-o tanto interna como externamente. Você vai aprender a aplicar os princípios básicos de saúde e nutrição, junto com o conhecimento de alinhamento e estruturas músculo-esqueléticas para melhorar a postura e para ajudar a prevenir lesões. (8 horas)

>> Quanto custa meeesmo ir para a Hillsong College?

Essa é uma pergunta muito complicada, cada ser humano é um ser humano,  já dizia minha professora do pré, hehehe… Os valores a seguir são um presente da Evelin para vocês, baseados na viagem planejada por ela. No entanto, eles são sempre reajustados e a previsão de gastos por semana é, bem, uma previsão.

Os valores da Agência foram retirados, porque você precisa combinar direitinho com a empresa com que está fechando um pacote. A Evelin escolheu a Cese – Intercâmbio Cristão, eu particularmente (eu não particularmente não existe, né, Natânia) não conheço a Cese, mas todos os amigos que já viajaram através deles só dizem coisas boas.

(Todos os valores abaixo estão em real)

Valor – Taxa de matrícula
Liderança Pastoral – R$ 438.80

Adoração e Dança – R$ 438.80

Mídia e Produção – R$ 438.80

Valor – Curso Ministerial (VET) anual

Liderança Pastoral – R$ 10,750.60

Adoração e Dança – R$ 12,067.00

Mídia e Produção – R$ 13,602.80

Valor – Acomodação (igual para todos os cursos)

Taxa de colocação (pela Hillsong College) – R$ 438.80
Depósito de Acomodação e Manutenção* – R$ 713.05

* Os depósitos de acomodação e manutenção são reembolsáveis quando não há danos ao imóvel e seus utensílios. Os valores da acomodação semanal não estão inclusos.

Valores do visto

Taxa Consular – R$ 1,173.79
IOF – R$ 75.01
Despachante – R$ 175.52

* O intercambista precisará fazer exames médicos com um médico credenciado da Embaixada Australiana. O valor da consulta e dos exames varia entre R$300 e R$400.

>> Mais sabedoria Evenlística

Sobre o valor da acomodação a ser pago semanalmente, que não está incluído no orçamento acima (apenas o valor da taxa que a Hillsong cobre para te receber e o depósito para assegurar que você não vai quebrar toda a sua casa), a Evelin explica: “esse preço de acomodação é só pra te colocarem ló, o pagamento semanal da acomodação varia entre 120 e 160 $AUD no Hills Campus, e 140 a 190 $AUD na City Campus. As outras contas, água, energia, você paga de 3 em 3 meses.  A partir deste ano, a gente também paga a taxa da cama e do colchão, 150 $AUD. Se faltar algumas coisas na sua casa tem uma galera que doa ou vende com um preço bem barato”.

A Evelin também explicou que há como ficar em uma casa separada do College, sai mais barato, no entanto, você precisará realizar os tramites sozinho. “Você tem a opção de combinar de ficar em uma non college house, daí você negocia com as pessoas que tiverem oferecendo a casa. Sai mais em conta, mas é legal contar com o suporte da escola, que faz a recepção, te leva para comprar as coisas que faltam, habilitam conta de telefone e essas coisas… Em média, a escola e a embaixada mandam preparar de 250 a 350 $AUD por semana,  como falei no vídeo é bom, pelo menos, ter o curso, passagem e o dinheiro dos primeiros três meses.”

Não está disponibilizado aqui o valor da recepção no aeroporto (ida e volta), o seguro saúde e a taxa administrativa da agência que a Evelin contratou, mas já dá para ter uma boa noção de quanto sua viagem custará para começar a juntar no cofrinho, caso a Hillsong College seja, também, o seu sonho e forma de colocar o evangelho na mochila

À companheira de danças estranhas na livraria quando nosso livro esperado chega: muito obrigada por dividir suas expectativas comigo! Eu quero que você viva tudo o que Deus tem preparado para você na Austrália, Ev!

“Alegrem-se sempre no Senhor. Novamente direi: Alegrem-se!” Filipenses 4:4


PS: Os links comentados no vídeo estão em sua descrição, no Youtube 🙂

A Cruz

Evangelho simples, puro, real. Esse é o resumo de uma das coisas mais lindas da semana: o vídeo do – não menos maravilhosamente lindo – seu Billy Graham.

Jura que assiste até o final?

 

 

PS: Obrigada, Filipe, pelo link (:

tumblr_static_tumblr_mln7b6jqsi1qdqm1so1_500
“Portanto, também nós, uma vez que estamos rodeados por tão grande nuvem de testemunhas, livremo-nos de tudo o que nos atrapalha e do pecado que nos envolve e corramos com perseverança a corrida que nos é proposta,tendo os olhos fitos em Jesus, autor e consumador da nossa fé. Ele, pela alegria que lhe fora proposta, suportou a cruz, desprezando a vergonha, e assentou-se à direita do trono de Deus.” Hebreus 12: 1 e 2

Feliz Natal! (Parte 1)

O Natal traz, de alguma forma, o verdadeiro evangelho até nós, que não é aquela conversa acusadora que ouvimos em grande parte dos nossos dias: seja assim, não seja assado (não vale para o chester).

É uma data ótima, mais um desculpa para ouvir Sinatra alto, para comer doces e rasgar papel de presente na sala, mas ela é, especialmente, o dia em que um cara revolucionário nasceu.  Acredito que o verdadeiro evangelho é tão político, quanto espiritual, é tão sentimental, quanto simbólico. Abro os quatro primeiros livros do novo testamento e vejo um homem que se importava com os pobres, que tinha que ajudar pescadores a ter o que comer e que, ainda assim, não pregava dinheiro. Acredito que Jesus nunca pregou pobreza, ou julgou fortuna; Jesus simplesmente falou: cara, você não tem que passar necessidade e amigo, você que é rico, só precisa manter seu coração no lugar certo. A verdade é que milionários e mendigos podem colocar o dinheiro como o centro de suas vidas e Jesus pregava o Reino como início, meio e fim de nossa existência.

E adivinha? Ele ainda prega.

O nascimento de Jesus é incrível, reis do oriente vieram vê-lo, enquanto outro rei tentava matá-lo. Espadas, fugas, grandes presentes e amores incondicionais. Esse é o nascimento que celebro. Meu rei foi seguido por cegos, almoçou com ladrões e sua morte foi chorada por prostitutas. Esse é o meu Natal, esse é o meu evangelho.

Temos uma oportunidade de jogar nossa ideia aguada de religião fora nesse período do ano. Um rei não viria a terra instaurar uma religião, porque isso é pequeno e mesquinho, um rei instaura um REINO, oras. Uma nova maneira de se entender como gente. Estar debaixo de um reino é tão diferente e libertador do que estar debaixo de uma religião… O Natal é isso, dia intergaláctico de gritar: PAREM DE NOS ENGANAR COM ESSAS RELIGIÕES E CERIMÔNIAS, ESSAS ORAÇÕES CONFUSAS, ESSE LERO-LERO. É tempo de entender o “venha nós o teu reino”, porque quando ele vier o “seja feita a tua vontade” vai deixar de ser uma oração, uma bolinha que nós passamos em sequencia de outra e de outra…

Todo final de ano, ajudamos uns aos outros, como a primeira igreja fazia, festejamos, damos e ganhamos presentes, isso deveria ser reino, e eu me pergunto: quando é que tornamos tudo isso religião? Quando é que nos metemos em algum concílio? Quando é que decidimos que lutaríamos guerras que não eram para o reino? No Natal, tudo isso faz menos sentido ainda… Porque pensamos em Jesus em uma manjedoura, rodeado de pastores e anjos que cantavam pelo menino. E é isso que quero ser,  parte de um presépio, quero ser o peixe que levava uma moeda – estáter – na boca, para que Jesus pagasse seus impostos (Leia Mateus 17: 27!), quero ser a adúltera que se jogou aos pés do Rei. Porque me vale muito mais conhecer seus pés, mãos, palavras e vontades, do que me encher de ritos e tradições que nunca me farão ver quem Ele é.

Que Jesus venha de novo e traga o reino como fez da primeira vez. Yeshua, nós te esperamos com corações quentes, como manjedouras cujo feno foi cuidadosamente afofado.