Arquivo da categoria: Vídeo

Eu adotei uma criança e acho que você daria uma ótima mãe/pai

Esses dias eu ouvi “fulano ajuda os outros para postar no Facebook”,  e eu pensei muito antes de escrever este post, porque odeio a ideia de mostrar alguma coisa que não seja exatamente o que está flutuando no meu coração.  

Eu tive que rever tudo e me perguntar se eu queria escrever este texto por uma razão errada que viesse de alguma parte do meu ego, e depois de pensar por duas semanas acho que finalmente cheguei a uma conclusão: sim, eu compartilho isso por mim, porque quando o outro se sente feliz, eu me sinto bem demais, mas também quero escrever isso pelo outro, que pode ser ajudado por você ao ler o post. 


{para ouvir enquanto lê}

Eu absolutamente amo poder dar alguma coisa para alguém. Eu sou do tipo que compra presente adiantado (confissão: já comprei todos os meus presentes de natal… correio, me ame e entregue o que ainda falta), que gosta de pensar no presente do aniversário dos amigos (#Dany2015 já começou hahaha), que acha que formatura tem que ter coisinhas também. Então se você me pede para levar algo em alguma comunhão ou me pede ajuda para servir, limpar, jogar água, fazer vídeo, eu me sinto verdadeiramente feliz. Porque eu estou dizendo isso? Bem, para você entender que na minha escala de felicidade, onde o 0 é estar do lado de quem faz barraco em loja e 10 é dar presentes para quem eu amo, praticamente 12 é doar para quem eu não conheço, mas que irá construir uma vida melhor com aquilo.

E foi assim que eu encontrei o projeto Pais Adotivos da Educação, da nossa pastora na África Ana Maria Lima. Ele juntou duas coisas muito importantes para mim: missões e educação. Um projeto que pensa no amanhã e isso é essencial, porque eu sou daquelas que passa por alguma pessoa que vive na rua e volta com comida para deixar por perto quando ele estiver dormindo, o que vai resolver um pedacinho do problema dele, mas como não é uma ação efetiva ao longo dos anos é algo muito pequeno. O Pais Adotivos da Educação, no entanto, me apresentou a possibilidade de investir em uma criança constantemente e saber que isso está proporcionando um futuro de crescimento para ela.

Deixa eu explicar melhor, o projeto ajuda no custeio de crianças na Escola Nesher, em Guiné Bissau, na África. Cada pai e mãe adotivo é responsável por uma criança durante um ano, doando mensalmente em uma conta do Banco do Brasil. Antes de continuarmos, gostaria que você assistisse ( de verdade!) um vídeo rápido que fiz sobre a igreja de Guiné Bissau e sobre o projeto Pais Adotivos da Educação:

Como não ficar apaixonado por essa obra, pela alfabetização das crianças e pela movimentação do reino? Quando penso na pastora Ana Maria meu coração se enche de amor, daqueles quase líquidos, que escorrem feito chocolate que a gente esquece no sol. Que mulher! Quando conversei com ela, no Facebook, disse que orava por ela e a amava mesmo sem conhece-la, e é verdade, porque não é isso o reino dos céus? Quando Jesus nos chama de filhos e nós nos chamamos de irmãos não estamos nomeando uma relação que já existe em Deus? NÓS SOMOS UMA FAMÍLIA e família se ama e se ajuda.

Te digo uma coisa, seu coração vai se encher de uma alegria gigaaante se você entrar nesse projeto. Eu sei que ainda é pouco perto do que devemos fazer pelo outro, mas te prometo que a primeira vez que você pensar “cara, eu sou a mãe adotiva de alguém que eu nunca vi, mas amo tanto!” seu coração vai explodir de alegria! E não só porque eu sou a louca do Natal, mas porque nós somos feitos para isso: doar generosamente. Eu espero que Deus me ensine a conquistar mais recursos para conseguir doar mais, porém ter pouco nunca será, para mim, uma desculpa para que eu não doe agora.

paisadotivos_000000
Foto tirada do Facebook da pastora Ana Maria

Se você se interessou pelo projeto, mande uma mensagem para a pastora Ana Maria! Você pode ver as fotos das ações aqui (ah, a data da câmera está errada 🙂 )

Ore pelas missões e por aqueles que levam seus corações e o evangelho através delas.

João respondia: “Quem tem duas túnicas dê uma a quem não tem nenhuma; e quem tem comida faça o mesmo”.
Lucas 3:11

Anúncios

Ele cura seu físico (e dos seus amigos e dos seus pais e dos…)

{para ouvir enquanto lê}

Meus últimos posts têm falado do amor de Deus e do grande e absoluto fato de que Ele fala.

– E o que cura física tem a ver com tudo isso, Natânia? – Bem… tudo.

Alguns amigos têm vivido situações difíceis de enfermidade na família, e das minhas orações por seus pais surgiu esse post. Se você que me lê tem passado por algo parecido, eu quero começar te dando toda a certeza do mundo: o seu Deus cura.

Quando eu prego sobre cura para as pessoas, eu prego sobre a cura que o Senhor derramou na minha casa. É engraçado como as pessoas se aproximam de nós como uma situação parecida com aquela que já vivenciamos… Deus sabe de tudo. O fato é que o que estou escrevendo não é teórico, eu vi acontecer e mais uma vez reforço: o seu Deus cura. E Ele o faz através do amor e da fala.

Há alguns anos meu pai foi diagnosticado com uma doença degenerativa e a notícia que nós tivemos é ele é que ele não iria conseguir se recuperar. Mas eu não quero que você escute só a minha versão da história, veja meu pai, seu Tone, contando o seu testemunho de cura:

Ouvindo meu pai eu só consigo pensar em amor e fala.

Deus ama: Ele não nos abandona e sempre faz questão de nos mostrar que nos ama.

Deus fala:  o que Ele nos diz nos dá esperança para continuar.

Quando recebemos do amor de Deus, o nosso medo vai diminuindo. A palavra Dele já diz: “No amor não há medo; ao contrário o perfeito amor expulsa o medo, porque o medo supõe castigo. Aquele que tem medo não está aperfeiçoado no amor.”. O amor nos mostra que nossos problemas não são castigo (Deus não te dá uma sentença de enfermidade, não!). E, claro, o amor de Deus cura. Foi ele que levou Jesus para a cruz, e a cruz é a resposta para tudo.

“Certamente Ele tomou sobre si as nossas enfermidades e sobre si levou as nossas doenças.”

Isaías 53:4-5

Joyce Meyer escreveu em seu livro Reduze-me ao amor (leia e se apaixone pelo amor de Deus!) que nossa fé atua através do amor. “Só podemos depositar fé em Deus se estivermos seguros de que Ele nos ama. […] Nossa caminhada pessoal em amor nos dá confiança diante de Deus e nos capacita a receber dele o que pedimos em oração”. Quanto mais entendemos de amor, entendemos de cura. E entender de amor não é sentir arrepios, mas ter a convicção de que porque Ele é como Ele é, nunca nos deixará. Qual é a lógica de sermos comprados por um preço inestimável – calculado nas gotas de sangue de Jesus – se não for para sermos sarados? O amor traz a vida abundante de Deus.

Ouvir a voz de Deus é tão importante quanto compreender seu amor, porque ela nos ajuda a nos mantermos sempre vigilantes e não deixar que os pensamentos de impossibilidade cruzem nossa mente. A voz do Pai também promove a esperança em nós. Quando meu pai não estava conseguindo ir para a igreja, eu perguntei a Deus o que iria acontecer e eu senti, depois de alguns meses de oração:

– Ele vai ficar bem.

Tempos depois, eu pude ver, através do Espírito, coisas sendo puxadas dos músculos das pernas do meu pai e essa forma de conversa (através de imagens embaçadinhas) me deu mais esperança.

Alegrem-se na esperança, sejam pacientes na tribulação, perseverem na oração.
Romanos 12:12

Eu gostaria de orar por você hoje, derramando o que Ele me deu nesse processo sobre você:

Senhor, eu ministro confiança agora sobre aqueles que estão lendo este texto. A sua palavra é clara quando diz que a cruz levou nossas enfermidades, que a nossa mente e o nosso entendimento consigam entender o tamanho do seu amor e, assim, tomar posse da promessa que você nos fez. A Bíblia diz em Tiago que a oração feita com fé salva o doente e que o Senhor dá saúde e traz o perdão para os pecados. Nos cremos nisso! Que a ministração de cura que foi liberada sobre a minha casa seja liberada agora na vida daqueles que estão clamando por ela! Eu oro pelos meus amigos e colegas que tem pedido por uma restauração na saúde de seus familiares. O Senhor pode dar novos fígados, rins, corações, veias, músculos e o que mais o seu povo colocar em sua presença. Deus, nós já te agradecemos, porque a palavra não nos diz que nós seriamos curados no futuro, mas que já fomos sarados e que ele já levou nossas enfermidades. Que a realidade do reino se torne viva aqui na terra. Nós oramos e agradecemos no nome de Jesus, amém. 

healer

Os 30 anos de fé do meu pai

Meu pai é incrível. Daquelas pessoas que a gente sabe que não vai achar mais nessa vida. Meu pai é aquele cara que me ajudou a fazer um trabalho de 40 páginas sobre dinossauros – eu aposto que a professora nunca leu, mas eu tirei 10 e é isso que importa, rs -, que fez maquetes imensas comigo, que me levava à bibliotecas quando eu fiquei obcecada em terminar um trabalho sobre transgênicos na primeira série.

Imagem (7)
Das fotos que dão trabalho de achar ❤
Imagem (59)
Porque as melhores pessoas tocam bateria, pai ( =

 Ele me ensinou a andar de bicicleta (ok, que ele mentiu dizendo que as rodinhas ainda estavam no chão, mas tinha levantado elas), desembaraçou a linha da minha vara de pescar umas 658 vezes, me ensinou a nunca negar comida para ninguém – lembro que ele comprava carne para as pessoas que passavam necessidades na feira -, ah, falando em feira, ele me ensinou tomar garapa com pastel nos domingos de manhã. Meu pai me ensinou a amar as pessoas. Ele me ensinou que mulheres são fortes e podem se resolver sozinhas. Ele é uma das pessoas mais justas que conheço. Seu Tone raramente reclama. Meu pai sempre resolve tudo. Se você chega com um colar enrolado ou com um problema gigante, ele vai dar um jeito.

Imagem (3)
Quando abrimos a igreja de Caldas Novas (GO) no antigo cinema da cidade. SPOTTED: me achei ao lado da minha mãe, tocando teclado, hehe…

Imagem (5)

PQAAAJM2LHFLN2UP3wjAdu18SvT-ZJFZ58MyWmBgqOUMxIKb3hZgDYQSIPT0lE8mx-x2GBsySOZFG5tI7QW322vZwiQAm1T1UGihghlU7cDA4DcLUePp9AVoQJX7

Imagem (3)
Ordenação de bispos na nossa Embaixada, em Brasília

Mas, acima de tudo, meu pai é um homem de Deus e ele me ensinou a amar o Senhor.

E todas as qualidades acima vieram à tona, mais uma vez, no início deste ano, quando nós fomos para nossa cidade natal, São Miguel do Araguaia, e gravamos um filminho sobre o início da sua vida cristã. Passar tempo com tanta gente que sabia coisas da vida do meu pai que eu nem fazia ideia, ou conhecia mais ou menos, foi uma das coisas mais lindas deste ano. A gente vai fazendo 22 e imaginando… “já pensou se eu conseguir fazer o que ele e minha mãe fizeram?”

Nosso filme: 

Diário de Bordo: Celebrações de Inverno (ou: Violão, felicidade e Dany)

Minha igreja tem um evento chamado Celebrações – de verão e inverno. Nas Celebrações de Inverno – que acabou de acontecer! – nós vamos para Brasília e reunimos irmãos de diversas partes do Brasil e celebramos nosso Deus juntos.

A prévia do post é essa, pessoas. Agora, o que vocês precisam saber é que vou dividi-lo em duas partes. Na primeira vou falar do que aprendi nesses três dias lindos (17,18 e 19), já na segunda, vou mostrar – vídeo hehehe! – a parte extra-oficial que eu, a Dany – QUE FOI PELA PRIMEIRA VEZ ESTE ANO, UHUUUL! – e o Alê fizemos.

Pois bem, vamos.

1) Diário de Bordo Oficial

As Celebrações sempre me fazem incrivelmente bem, porque aumenta minha fé, me fortalece e me conecta com outras pessoas que estão buscando o mesmo que eu. Este ano senti que tudo o que estava sendo pregado era para mim. Como se a todo momento houvesse um painel luminoso sobre minha cabeça dizendo: caro preletor, fale sobre a vida desta pessoa cujo cabelo passa maior parte do evento bagunçado.

A palavra do Bispo Rodovalho entrou dentro de mim como um furacão. Só que ao contrário. Ao invés de bagunçar, ela passou limpando tudo, colocando no lugar, ajeitando e sorrindo. Eu simplesmente entendi as memórias das minhas células e me senti tão grata pela revelação de Jesus que me enfiou em um mundo novo, que olha… A palavra da Bispa me ensinou a perseverar, a do Peter me fez pensar que mal posso esperar pelo ano do Jubileu (e que caso eu torça o meu pé, eu já sei o que devo perguntar para as recepcionistas hehehe!). A do Bispo Lucas me ensinou o quanto estratégias podem ser apaixonantes e como o Arena é uma ferramente poderosa que temos.

Tudo me mostrou um pedacinho diferente de Deus, maaaaaas acima de tudo eu aprendi sobre felicidade. Aprendi que ela nada mais é do que se sentir completo e, claro, fiz uma lista mental de todas as vezes que não consegui a plenitude por que sabotei tudo o que Deus estava construindo em mim. Aprendi que a felicidade é um plano e que a gente precisa estar ciente de que está o escrevendo, esperar que tudo aconteça simplesmente por acaso é como estar em um filme da Katherine Heigl: não rola. Deus me mostrou como as vezes não estou radiante única e exclusivamente por minha culpa, porque eu não consegui ir até o fim por uma ideia errada de que ser feliz é se sentir bem a todo tempo. Felicidade e prazer ininterrupto não são sinônimos.

Na volta, depois de passarmos pelo Arena da Ceilândia – e meu Deus, ficar de boca aberta e coração derretido -, eu fui pensando sobre o que estou escrevendo agora e escutando um violão – e fingindo não muito bem que não estava escutando hahaha – comecei a orar em línguas. As músicas mudavam, o violão continuou por cerca de uma hora, e Deus me ensinou que ser feliz é não ter nada em falta. Ter todos os pedaços do coração. Eu não me senti totalmente inteira naquela hora. Mas eu sabia o que estava faltando e isso já é muito bom! Eu sabia o que ainda cabia em mim. E eu me esforcei para não dormir e pensar e orar enquanto o violão ainda estivesse tocando.

1) Diário de Bordo NÃO Oficial

Depois que as Celebrações se encerraram, nós fomos andar um pouco por Brasília, antes de irmos para o Arena da Ceilândia. E nós – incluir Dany aqui, alguém pela qual sou tão grata, que nem posso dizer mais do que: eu não queria que ninguém colocasse palavras na boca dos nossos personagens, além de você! – batemos pernas e fizemos nossas Celebrações extra-oficial. E claro, todas as noites, intervalos, sorvetes derretidos e sanduíches na madrugada fizeram o evento ter nossa cara: exageraaaaaada. Alê, também companheiro de viagem: muuuito obrigada. Assim como todo mundo que estava com a gente. Sou grata pela igreja que em que Deus me colocou.

Então é isso, o vídeo fala bem melhor do que eu sobre  a segunda parte do post.

A Cruz

Evangelho simples, puro, real. Esse é o resumo de uma das coisas mais lindas da semana: o vídeo do – não menos maravilhosamente lindo – seu Billy Graham.

Jura que assiste até o final?

 

 

PS: Obrigada, Filipe, pelo link (:

tumblr_static_tumblr_mln7b6jqsi1qdqm1so1_500
“Portanto, também nós, uma vez que estamos rodeados por tão grande nuvem de testemunhas, livremo-nos de tudo o que nos atrapalha e do pecado que nos envolve e corramos com perseverança a corrida que nos é proposta,tendo os olhos fitos em Jesus, autor e consumador da nossa fé. Ele, pela alegria que lhe fora proposta, suportou a cruz, desprezando a vergonha, e assentou-se à direita do trono de Deus.” Hebreus 12: 1 e 2

Episódio de hoje: montar a árvore de natal

Apesar de Tommy não saber que dia é o natal (oi, The Who, rs!), eu e minha irmã já montamos nossa árvore. Como diria Isaías: trovão do deserto, preparem-se para a chegada de Deus – e do Chester (ou quase como diria Isaías).

cade reis magos

IMG_20131205_020501

urso noel

IMG_20131205_020620

Apesar da minha destreza com a câmera do tablet (só que não) e minha preguiça de renderizar, fizemos um vídeo com temática natalina, mas sem música de natal com sinos e corais (para não matar todo mundo, né Simone?), sobre essa coisa complexa (mais uma vez: só que não) que é montar uma árvore.

(:

“Preparai o caminho do Senhor” (Isaías 40:3)

Espírito: um imã de relacionamentos (Desafio #2)

O Espírito é um amigo que traz amigos. Aliás: Ele é um amigo que traz os amigos certos. As pessoas que são exatamente um pedaço da gente.

Mas eu não vou falar hoje não, o testemunho da Fernanda Brum, Liz Lanne e da Eyshila vai fazê-lo:

Para orar com a música que elas cantam ao final