Arquivo da categoria: Música

Do meu quarto. Do meu desafino. (3)

Algumas vezes, eu pergunto para Deus como era o coração de John Wesley. Eu passo os olhos pela sua biografia e me impressiono com o fogo que irradiava por sua pele e queimava seus ossos. “Eu me coloco em chamas, e o povo vem para me ver queimar”.

Como eu posso queimar de forma incontrolável? De forma que nunca mais tenha volta? Eu perguntei ao Senhor enquanto a letra da música abaixo ia sendo desenhada. A resposta é simples, mas, como tudo no evangelho, ela exige tudo de você.

E, quanto aos anjos, diz: Faz dos seus anjos espíritos, E de seus ministros labareda de fogo.
Hebreus 1:7

É preciso ser ministro.

Um dentista ministro. Um diácono ministro. Um economista ministro.

E foi assim que este Do meu quarto. Do meu desafino. perdeu todo o meu quarto e ganhou John Wesley.

 



Este projeto não é sobre cantar bem, claramente. Mas é sobre dizer coisas para Ele. Se você tem uma canção que está amando cantar para Ele, me mande (nataniacarvalho@gmail.com), vamos dividir nossos corações e sermos parte uns dos outros ❤


Leia também:

Do meu quarto. Do meu desafino. (1)

 Do meu quarto. Do meu desafino. (2)

Anúncios

Do meu quarto. Do meu desafino. (2)

Um dia, eu estava em um culto de domingo – nós ainda morávamos em Goiânia -, quando perguntei para Deus até onde ia o rio de cristal dos céus. Segundos depois, minha mente foi cheia de uma imagem de um rio que não acabava, ele existia e existia e existia e existia…

Então, no dia seguinte, eu cantei para o Espírito o que posto aqui para vocês (projeto novo deste blog, que acontece no meu quarto) e me imaginei correndo para Ele como um rio, que existe e existe e é radiantemente feliz, porque sempre passa debaixo do trono do Eterno.

Então, o anjo me mostrou o rio da água da vida que, translúcido como cristal, fluía do trono de Deus e do Cordeiro, e que passa no meio da rua principal da cidade.”

Apocalipse 22: 1 e 2


Este projeto não é sobre cantar bem, claramente. Mas é sobre dizer coisas para Ele. Se você tem uma canção que está amando cantar para Ele, me mande (nataniacarvalho@gmail.com), vamos dividir nossos corações e sermos parte uns dos outros ❤


Leia também:

Do meu quarto. Do meu desafino. (1)

Playlist para a semana (:

 

Para caso você queira cantar junto com a minha playlist da semana:

1)  Sarah Juers – Anchor

2) Hannah Barnett – Nails

 

3) Ryan Ellis – Never Changing

4) The Brilliance – Yahweh

5) Laura Souguellis – Tudo é para tua Glória

6) Jeremiah Bowser – Meu Coração É Teu

7) Kye Kye – People  

8) Earth, Wind & Fire – September

Pode ficar aí me julgando ou começar a dançar com essa música maravilhosa haha 😀

9) Lucy Rose – Shiver

10) Ella Fitzgerald and Louis Armstrong – Ella and Louis (1956)

Não dá para explicar esse álbum. Põe na playlist da vida!

11) The Lumineers – Dead Sea

12) Dwayne Johnson – You’re Welcome (From “Moana”)

Sim, eu estou obcecada por Moana.



Esquema de sempre: você pode me encontrar através do meu email (nataniacarvalho@gmail.com), da página do blog no Facebook, ou do meu Instagram =D

Do meu quarto. Do meu desafino. (Ou: Projeto novo)

{Para ouvir enquanto lê}

Eu nunca consegui ter um canal no Youtube para complementar o blog. Juro que eu tentei há uns anos atrás, mas nunca deu certo…  Sim, inclusive apaguei muitos vídeos que estavam por lá…

Esses dias, eu estava pensando cá com meus botões que seria legal tentar de novo. De novo. Mas que eu precisaria, pelo menos no início, de um formato que fosse familiar para mim. Como o blog. E aí surgiu o Do meu quarto. Do meu desafino. Algo mais calmo e tranquilo – mais próximo do que eu já faço aqui há tantos anos…

O que eu trago de diferente nesse conteúdo – além do meu quarto e da minha inabilidade em tocar violão, mas acho que você já entendeu essa parte, porque, bem… por causa do título hehe – são algumas composições. Mas nem isso é tão diferente assim, porque você já me lê.

Neste primeiro episódio, eu queria que você pensasse em Amós, em religiosidade, em pecados escondidos, mas, acima de tudo, que você pensasse no eterno amor do Senhor por Israel. Apesar de todo o juízo, Ele é apaixonado por aquela cidade, que hoje sou eu e você. Deus está sempre buscando uma maneira de reconstruir Israel, de nos encher de plenitude, de finalmente nos colocar na terra em que moraremos para sempre.

Reli Amós depois de uma palavra que nosso bispo nos deu, em minha igreja local. Uma palavra que animou nosso espírito e esquentou nossos corações. Depois de uma temporada muito complicada, o Senhor estava nos dando tijolos novos, e, assim, surgiu a canção Amós 9. Espero que você se interesse por esse novo pedacinho do blog no Youtube.

Conversas com meu Beatle favorito (ou: Todas as coisas deste mundo vão passar)

geor

Hoje eu acordei meio George Harrison, meio com cara do disco All Things Must Pass. Você já sentiu aquele estalo na cabeça no meio do dia? Aquele estalo perturbador:

esse tempo não vai voltar

Esse tempo em que estamos nos estressando, gritando por causa do papel que sempre trava dentro da impressora – e da mancha preta que pula para a roupa quando você tenta mexer nela – esse tempo já era. Esse tempo em que passamos fazendo pequenos jogos para não amar quem realmente amamos e não perdoar ou pedir perdão tentando segurar aquele fio da reclamação diária sobre como a vida pode ser injusta, bem esse tempo nunca mais vai voltar.

Nesses dias, o evangelho faz sentido pra caramba. Ele grita na minha cara. Ele me pergunta: em que você tem sido diferente das pessoas que vivem, riem e se desesperam apenas por este mundo? A hipocrisia de cantar que desejo viver para Jesus na noite anterior, na igreja, e a vontade de querer viver por mim na manhã seguinte.

Não, Deus, eu não quero viver por mim. Não quero viver por coisas que vão passar. Aumento o volume e ouço Geor(ge), meu Beatle favorito, me afagando: That is not what you are here for.

– Exatamente, George – confirmo, balançando a cabeça.

Marcos Almeida me fazendo polemizar neste blog (ou: Palavras hebraicas para a adoração e louvor)

Este texto não faz parte dos posts temáticos do mês, para lê-los clique aquiaqui e aqui.


{Para ouvir enquanto lê}

Eu me lembro da primeira vez que o meu avó materno – a pessoa mais lindamente do contra (beijo, vô, daqui um dia estou chegando no seu Araguaia) – me perguntou o que eu fazia fora da igreja e porque eu não lia essa bendita Bíblia SÓ na igreja. A resposta pulou de mim sem nenhum empecilho, como se ele tivesse perguntado meu nome:

– Porque o evangelho faz parte de todos os pedaços da minha vida, não tem fora da igreja.

Ele balançou a cabeça e me implicou mais um pouco, mandando eu parar de filosofar sobre Deus e ir para piscina.

E aí eu fiz 15, 16 e pulei para os vinte anos, cada vez mais atraída por esse pensamento. Todo dia menos preocupada em parecer gospel, mas totalmente comprometida com o evangelho. (E veja bem, isso não é um desrespeito ao mandamento de evitarmos a aparência do mal).

Se você me lê já sabe que eu acho que a minha fé não está no meu vocabulário crente, minha fé está em absolutamente tudo mais: na forma como eu acordo, como eu reclamo, como eu amo o outro – em todos os amores possíveis – como eu trabalho, como eu planejo o meu dia…

Sendo assim, dividir a vida em música “de Deus” e música em que Deus está presente, não faz sentido para mim… É claro que precisamos ter canções que nos impulsionem diretamente na igreja, que nos ajudem a gerar fé, que facilitem o contato com Deus (eu sou team espontâneo da Bethel, amigos, basta ver a quantidade de vezes que falo sobre canções que falam explicitamente sobre e com o lindjo Espírito Santo), mas eu realmente acredito que Deus está em uma música que você compôs sobre… bem, sobre um passarinho. Ela não precisa ter aquele selão “música de crente”, ela precisa ser feita por você, que entende que sua vida cristã, na verdade, são todas as áreas da sua vida. Você pode falar sobre alguma parte besta do nosso cotidiano ou sobre quem você ama e ainda sim demonstrar que o seu coração se derrete pelo Altíssimo.

E estou falando isso por que, minha gente? Porque Marcos Almeida lançou uma música nova sobre o Natal e me fez pensar sobre tudo isso de novo hahaha…  Se você não conhece o cara, mas conhece o trabalho do Palavrantiga, você conhece um pedacinho do cara. Agora, com novos projetos (acesse o Nossa Brasilidade), ele tem falado bastante sobre o evangeliquês e o que o Espírito pode fazer se nós falarmos português nas músicas.

marcos

“A gente recebe algumas críticas. A primeira vista parece alguma coisa muito “carnal” muito “pensado”, mas a gente vê que é um movimento que o Espírito Santo está fazendo no Brasil. Existem muitos grupos que vieram desse meio da cultura gospel que não estão mais relacionados ao movimento, como a Lorena Chaves, a Lilian Soares, o Bruno Branco, alguns músicos do Nordeste e também de Brasília que não usam esse vocabulário. Acredito que o gospel é mais uma forma de comunicação do que um estilo de música. O gospel tem o seu linguajar. O “Nossa Brasilidade” está tentando aproximar mais com o vocabulário de “rua”, mais com o “português” do que com o “evangeliquês”. Se fosse resumir, diria que o nosso projeto são artistas cristãos falando em português”, Marcos disse em uma entrevista para o site da Lagoinha.

Talvez você possa estar pensando que isso é uma maneira de se esconder, de não falar claramente a mensagem, mas sabe, eu não acredito nisso não. Eu creio num Deus poético e mais, em um Deus que nos dá liberdade para sermos poéticos. Vamos pensar em Davi, quer um homem que sabia mais sobre ser extremamente derretido e construtor de metáforas e, ao mesmo tempo, sabia quando ser guerreiro e observador das realidades espirituais? Ele não escondia o seu Senhor, ao contrário dos soldados do Rei, todos escondidos, com medo de Golias. “Então, quando você trabalha com a canção, fica escancarado sua confissão de fé. Quem conhece as nossas músicas sabe que não estamos tentando ser simpáticos com o mundo. Estamos provocando muitas coisas, mas com beleza, poesia e na língua corrente das ruas e não nos jargões evangélicos.”, Marcos afirma, ainda em entrevista para o site da Lagoinha.

Na parte hebraica da Bíblia, a palavra adoração, na verdade, são várias palavras. Então, por que não termos vários tipos de canções que nos levam a diferentes tipos de louvores? Não é mais do que natural? Eu tenho lido sobre isso há alguns meses (e escrito as sete palavras em cadernos e nos braços, não se assuste caso me encontre riscada hehehe) e descoberto que nós podemos exaltá-Lo de mais formas do que temos feitos.

Vou listar resumidamentíssíssimo  as palavras:

HALAL: falar bem do Eterno. Sabe quando a gente tá tão entusiasmado ou agradecido que precisa falar alto que Ele é bom?

YADAH: erguer as nossas mãos, em um local de dependência completa de Deus.

TOWDAH: levantar as mãos com ações de graças, não só por tudo o que já recebemos, mas pelo que iremos receber. Pode ser considerado um louvor gerador de fé, que nos livra de sermos amargos, de culparmos o outro, de não sermos gratos.

SHABACH: é a palavra para o júbilo, para quando gritamos e nos alegramos Naquele que venceu o mundo.

TEHILLAH: eu absolutamente amo os salmos que têm essa palavra! Porque eles falam de cantarmos uma canção nova – algo que você não tenha decorado. Ou seja: essa é a parte da adoração em que Deus tem liberdade de agir através de nós e aí nós colocamos em palavras nossa relação de amor com o Senhor (já tô suspirando aqui, e vocês?).

BARAK: adorarmos de joelhos, expressando verdadeiramente o que temos presenciado em Sua presença.

ZAMAR: louvar e adorar tocando algum instrumento, fazendo melodias.

instagram
Estudar as palavras hebraicas para o louvor e a adoração amolecem meu coração. Entender exatamente o que os salmos dizem é tão intenso que, de alguma forma, agita uma parte de mim que só quer gritar e cantar e me prostrar diante Dele. Quero enfrentar tudo em adoração, Deus, porque se eu puder te ouvir cantar, meu Rabbi, se eu tiver a certeza de que estou um dia a menos de ver suas bochechas musicais, tudo fica mais ‘engulivel’. Você é todo o som dos meus dias e eu quero aprender a te dizer isso de segunda a segunda, ate que não haja mais tempo para contar.

Eu já não sei se eu me fiz clara ou não adicionando essas sete palavras ao texto (hehehe), o que queria dizer é que o clipe novo do Marcos Almeida sobre nosso natal cheio de sol e Deus me fez sorrir e pensar em como Deus nos aprecia. Não só pelo que podemos fazer por sua obra, mas pelo que Ele colocou em nós: poesia.

Assista o vídeo responsável pelas 1182 palavras do post:


[Faltam 07 dias para o Natal]

Playlist para uma manhã de segunda-feira

tape2_000000

Falta menos de uma hora para segunda-feira que beleza (ia colocar beleuza creuza, mas chequei minha identidade e ainda não tá permitido, tá faltando uns 40 anos ainda), então o post de hoje é só para te deixar mais feliz quando o dia de amanhã chegar, o despertador tocar às seis e quinze e você começar a realmente dar o devido valor ao seu edredom. Fiz uma lista de músicas para você dar play logo cedinho e deixar o dia mais ok.

Vamos lá:

1 – Vance Joy – Riptide

Pra tentar acordar feliz, assim que abrir os olhos dê play imediatamente antes de apertar a soneca.

2 – SOZO – Seja Exaltado

Para quando você for dar bom dia para Ele.

3 – The Paper Kites – Bloom

In the morning when I wake. And the sun is coming through. Oh, you fill my lungs with sweetness. And you fill my head with you. Shall I write it in a letter? Shall I try to get it down? Oh, you fill my head with pieces. Of a song I can’t get out. Can I be close to you? Ooh-oo-oo-ooh, ooh. 

Essa música é amor líquido cor vermelho da paixão, retumbante como bate meu coração neste exato momento hahahaha… Parei.

4 – Guilherme Scardini – O Absurdo

Não vou escrever aquela coisa estranha de amor líquido de novo, mas  digamos que é uma descrição que cabe por aqui… Aposto que você vai ouvir mais do que uma vez!

5 – Little Suns – Sunboat

6 – Lorena Chaves – Dança

Mineirice.

7 – The Welcome Wagon – But For You Who Fear My Name

Se é do pastor do Sufjan Stevens, adivinhe só quem está envolvido? Sim, Sufjan Stevens!

8 – Gungor – You Have Me

Pra dizer que Ele tem nossos corações por completo.

9 – Taylor Swift – Blank Space

Porque eu sei que você já está com sono de novo e precisa incorporar uma Taylor aí para ficar acordado (calma, já está quase chegando no trabalho 🙂 )

10 – Eliza Doolittle – Big When I Was Little

E a manhã da segunda se foi.

[18 dias para o natal]

De ontem (ou: Confie no Senhor, minha alma)

Confiar nem sempre é fácil. Confiar em Deus tudo o que você é (e não só as partes que todo mundo vê aos domingos), confiar a Deus o seu futuro e os sonhos da sua família.

Tudo o que eu não consegui te falar ontem, Deus, por um milhão de motivos, eu coloquei em alguns minutos de música hoje. Como todas as vezes passadas: um desafino só,  três notas mal batidas e uma casa barulhenta, mas pregando para minha alma que confie no Senhor em TODAS as circunstâncias.


Caso você não queira me ouvir, mas queira saber a letra:

É difícil te dar dar alguns pedaços que há em mim

Te mostrar como sou, alguns segredos que escondi

É difícil deixar que a graça abunde onde ainda há dor

Onde há choro, onde não há perdão, onde há dúvidas sobre o teu amor

Ontem não consegui falar, 

Então pus nessa música

Que é para quando você escutar, Deus

Você entenda que eu

Te amo mais do que os outros podem ver

Porque o que eles nunca viram você sabe de cor

Te amo mais do que a falsa ideia de que tudo está bem

Porque eu sei que um dia vai ficar

Eu escrevo essas coisas para você nunca se entristecer 

Quando eu tiver que chorar nas madrugadas, Deus

Porque de vez em quando a gente vai sofrer

Mas logo vem você pra me fazer feliz

E quando isso tudo desaparecer

Seremos somente eu e você.

Pro meu amigo

Você tem um fone por aí? Então, acho que essa é a primeira vez que eu posto uma música que não seja uma versão, daquelas que a gente faz na tarde de domingo… MENTIRA, GENTE, LEMBREI DA MÚSICA DO TODDY HAHAHAHAHAHA! Aiai… 

Voltando a esse post, hehe, ontem cheguei do discipulado, peguei o violão – que não toco – e fui falar para Ele que eu sentia muito por ter duvidado que tudo seria bom, perfeito e agradável. Lembrei a Ele que nunca vai haver um melhor amigo como ele, mesmo quando estou sendo a pessoa mais sem fé do planeta, porque tudo fica melhor com Ele. Até pão de queijo.

                                              Com os usuais desafinos e barulhos inexplicáveis da minha casa (:

 

 

Uma das minhas pessoas favoritas: Seu Keith Green

Do nada, alguém postou o link para uma mensagem de Keith Green, no Facebook. Eu cliquei e alguns dias depois ainda estou impactada.

Uma coisa importante sobre o senhor Green e eu antes de seguirmos o texto: ele é uma das pessoas que mais me enchem de esperança nesse mundo. Mesmo que ele tenha morrido tão tragicamente há tanto tempo. Keith e sua esposa fazem meu coração amolecer ao ponto de finalmente entender o que é buscar o Reino. Keith era tão apaixonado pelo evangelho que me faz rir e chorar  em uma mesma música (se você ouvir seu penúltimo álbum vai entender o sentimento!).

Foi ouvindo suas músicas de novo, seu piano, a maneira com que ele e sua barba sorriam para o Senhor, que encontrei um filme sobre sua vida.

Agora, se você realmente puder fazer algo por você hoje: assista até o final. Serão os melhores minutos do seu dia, porque como Keith diria ele foi só (?) uma caneta para o Reino. Mas foi uma caneta maravilhosa. Que sejamos canetas, lápis e qualquer outra simbologia de papelaria, rs, que perseguem sempre a justiça, a paz e a alegria do Reino.

 

Bônus! Bônus! Bônus!Bônus! Bônus! Bônus! Bônus! Bônus! Bônus! Bônus! Bônus! Bônus!