Arquivo mensal: maio 2016

Porque vocês andam culpando as viúvas e os órfãos?

{por favor ouça enquanto lê}

Deus não é Senhor das metades, das imperfeições e das injustiças.

Deus é inteiro, infinitamente maior do que o círculo que você desenhava com seu compasso nas aulas de geometria. Deus é perfeito, não há um vislumbre mau em sua personalidade, não há uma falha sequer em seu coração. Deus é justo e nas sua justiça não há áreas cinzas.

Eu tenho me lembrado dessas coisas nos últimos dias.

Inteiro.

Perfeito.

Justo.

Eu preciso me lembrar, porque acordo chorando pois uma menina foi estuprada por 30 homens e nós não estamos gritando isso como loucos em nossos púlpitos, em nossas células e círculos familiares.

Não há uma parte de mim que não queira gritar. Eu pareço feita de gritos, como se citoplasma não fosse mais necessário. Meus pulmões gritam, as células da minha pele do dedão berram, e por isso eu choro constantemente, porque eu não sei mais o que gritar.

Eu abro uma rede social qualquer e aqueles que deviam estar abraçando a vítima – alguém que poderia ser facilmente a viúva e o órfão das escrituras – estão medindo o vestido de uma menina e verificando se ela devia ser culpada ou não por trinta abusos.

“Mas você não sabe onde ela estava?”

“Mas não era ela que tinha um filho já?”

“Mas se ela tivesse na igreja nada disso teria acontecido”

E tudo o que eu quero fazer é gritar. Alto. Tudo o que eu queria fazer é parar de chorar. Mas a cada onze minutos, uma mulher é estuprada no Brasil.

O sentimento não passa. A indignação infla em mim, como uma maré permanente. E eu passo a orar por todas as mulheres que conheço. Eu passo a orar pela vida de uma menina que não conheço. Eu a vejo na rua e peço para que ela não seja estuprada naquele dia. E choro. Tanto que meu peito treme.

Porque a gente precisa de uma oração dessa?

Eu questiono porque muitos na igreja tem tanta dificuldade de amar, porque eles se agarram a religiosidades e são tão ressequidos? O Senhor não tem nos dado amor? O Senhor não tem nos dado misericórdias novas todos os dias? Quem somos nós para não amarmos alguém? Por acaso a cadeira de juiz foi designada a nós?  Mas eu nem sei porque eu estou escrevendo esse texto, porque assim que entrar no meu Facebook alguém de alguma denominação qualquer – e até da minha! – vai estar dizendo que “também, a mulher tem que se dar ao respeito”. E que respeito é esse?

Onze minutos.

Outro estupro.

Há algum anos eu entendi que o meu próximo era uma mulher. E eu vou lutar por ela como eu luto por mim. E isso tem significado colocar coisas de lado e ser vista, algumas vezes, com alguém que se estressa “por nada”. Isso significa falar de machismo dentro da igreja e receber olhares de “shhh”. Eu não vou parar de falar. Eu não vou parar de escrever. Eu não vou. Porque as mulheres não vão apanhar dentro das nossas igrejas. Porque as mulheres não irão ser estupradas em silêncio dentro de nossas igrejas. Elas não vão ter vergonha de nos pedirem ajuda. Eu sou a ajuda. Eu me disponibilizei como coração quente e braço firme para elas.

Você é a ajuda?

Que nós não culpemos a vítima. Que nós não coloquemos nossa religiosidade como uma máscara para disfarçar o fato de que muitos se acham mais santo e superiores e, por isso, talvez, achem que o outro “pediu”. Acredite, ninguém pede para ser estuprado.

Nos momentos em que estou mais desesperançosa – e desesperada – pela situação que as mulheres enfrentam no Brasil, eu tento reviver a história mais do que conhecida de João 8: a mulher adúltera. Eu olho para o Jesus que eu amo e sirvo e o desprendo de todos esses comentários maldosos, machistas e completamente sem compaixão. Meu legislador não levantaria pedra nenhuma contra aquela menina, mas falaria algo que deixaria todas as outra pedras no chão.

Jesus fez algo para que aquela mulher não fosse machucada. Eu quero fazer algo. Você quer?

O evangelho é tão maior que casas próprias e mensagens sobre casamento. O evangelho é sobre salvar a vida de alguém. O evangelho é sobre defender uma menina. O evangelho é sobre amar uma mulher.

Sei que a terra clama pelo sangue de cada uma de nós derramado injustamente, assim como clamou pelo de Abel (E disse Deus: Que fizeste? A voz do sangue do teu irmão clama a mim desde a terra Gênesis 4:10). Que nós também clamemos para aquele que é inteiro, perfeito e justo.

Eterno, traga justiça para as tuas mulheres.

Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque eles serão fartos;
Mateus 5:6

Anúncios