O que eu ando lendo, vendo e ouvindo nos últimos dias

{para ouvir enquanto lê}

Esse é um post inspirado pelo blog da Emma Theriault. Um post com um monte de coisas que ando fazendo nesse tempo de faz uma cirurgia, se recupera, faz outra. Quem sabe você está de férias e resolve ler, ouvir ou ver algo da minha lista 😉

>> O que eu tenho lido recentemente: 

Ouro, do INCRÍVEL Chris Cleave;

Eu me apaixonei pelo senhor Cleave em Pequena Abelha (por favor, arrume uma cópia e leia agora!), e comprei Ouro um longo tempo depois do lançamento, em uma promoção da Leitura e paguei uma bagatela de dez dilmas. Mas, como estava lendo outras coisas larguei o coitado por seis meses na estante.

QUE BURRICE.

ouro

Quando comecei a ler tive uns 5 mini infartos, uns 86 nós na garganta e uma vontade infinita de tirar mil fotos para o Instagram, porque era muito bom para não ser compartilhado (mas, segurei a loucura e só postei uma). A gente sempre começa um livro do Chris Cleave não sabendo praticamente nada sobre a história, e ele explica que não gosta de colocar um resumo atrás do livro, o autor acredita que o processo de conhecer a narrativa e os personagens fica mais interessante quando o leitor não sabe do que se trata. Para você se situar, ele diz apenas que é umas histórias entre duas amigas que são atletas e desejam ir para as Olimpíadas.

Daí pra frente, o autor explode a sua mente mostrando a cretinice do mundo e da gente mesmo.

Estação Onze, minha primeira leitura da Emily St John Mandel

estacaoonze

Esse livro não é uma indicação, é quase um pedido desesperado: alguma hora da sua vida, por favor, leia.

O mundo foi dizimado pela Gripe da Geórgia, não existem mais países, nem grandes cidades, nem energia, nem internet (noooo), e por um triz quase a raça humana não foi extinta. No meio de tanta desgraça, alguns atores e músicos se juntam, fazem uma sinfonia itinerante e apresentam Shakespeare em vários vilarejos e cidades. Tudo vai muito bem – bem no limite do bem-levando-em-conta- que-o-mundo-foi-destruído – até que eles chegam em uma cidade legislada por um “profeta”, que acha que quem morreu tinha que morrer mesmo, porque só os puros resistiram.

A autora desse livro simplesmente soube contar essa história – às vezes, a gente tem uma ideia que parece legal, mas não sabemos como colocá-la no papel… Esse não foi um problema para Emily. Achei o livro bem escrito, livre de excessos e altamente capaz de passar o desespero de ver nossa civilização ruindo. Eu sonhei com a doença, e gente FOI ASSUSTADOR hahaha…

– Dicionário da escravidão negra no Brasil, escrito por Clóvis Moura

A escravidão brasileira é algo que me tira a paz. Algo que repercute em nossas vidas diariamente. Nosso país enfrenta um período conturbado, onde muita gente fala muita bobagem – vide “bandido bom é bandido morto” e coisas aí que passam nesses Cidade Alerta da vida -, creio que quanto mais a gente souber do nosso passado e da situação real do nosso presente (não tô falando de mimimi de Facebook), menos repetiremos discursos errados. Recomendo a história dos quilombos de Minas Gerais, me impressionei com a descrição de muitos!

(Livro em andamento: High and Lifted Up, da pastora Jane Lowder)

>> O que eu tenho visto recentemente: 

Basicamente… YouTube. Acho que ele virou minha tv dos anos 90, eu sou inscrita nos mais variados canais que você possa imaginar. De tutorial a review de livros (entrem no canal da Tati Feltrin!), de game play até decoração. Ontem estava vendo tags respondidas por uns youtubers mineiros e não posso com SOTAQUE MINEIRO, MEU ❤ NUM GUENTA, hehe. Minha nova coisa favorita são as batalhas de dublagem do Lip Sync Battle:

Além dos 632 canais no YouTube, eu atualizei a série Call the Midwifes e vi a mini série, baseada no livro de mesmo nome, Jonathan Strange & Mr Norrell. Muitssíssississimo legal. Tiveram uns filmes no meio do caminho, mas daquele tipo: mais do mesmo.

>> O que eu tenho ouvido recentemente: 

O que Tua Glória Fez Comigo – Ministério Voz de Muitas Águas

Deus Está Me Construindo – Fernanda Brum

No Longer Slaves – Steffany Frizzell Gretzinger

You’re The One That I Want’ – Lo-Fang

Levanta e anda – Emicida




PS: uma cirurgia e fim, programação normal neste batblog 😀

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s