Arquivo mensal: novembro 2014

Eu decidi ser a melhor Bíblia que eu posso ser (ou: Ash nazg durbatulûk, ash nazg gimbatul, ash nazg thrakatulûk, agh burzum-ishi krimpatul)

God said: I need someone willing to say no to the status quo note

(Deus disse: eu preciso de alguém disposto a dizer não ao status quo)

Mesmo que não sejamos Loren Cunningham, que dividamos o evangelho sempre. Alguns dos nossos amigos nunca se interessaram em ler um capítulo da Bíblia, mas nós decidimos que seriamos a Bíblia que eles leriam todos os dias. Uma Bíblia que ri alto demais, que compartilha coisas desnecessárias (vídeos de cabras cantando Taylor Swift ❤ ), que acha religião chaato e que, às vezes, usa seu anel dos senhor dos anéis pela casa (chora Sauron). Seja a melhor Bíblia que você possa ser, seja o evangelho prático todos os dias.

Filipenses e Tolkien (olha só essa inscrição em branco, beeeem clarinha <3)
Filipenses e Tolkien (olha só essa inscrição em branco, beeeem clarinha <3)
Anúncios

Eu adotei uma criança e acho que você daria uma ótima mãe/pai

Esses dias eu ouvi “fulano ajuda os outros para postar no Facebook”,  e eu pensei muito antes de escrever este post, porque odeio a ideia de mostrar alguma coisa que não seja exatamente o que está flutuando no meu coração.  

Eu tive que rever tudo e me perguntar se eu queria escrever este texto por uma razão errada que viesse de alguma parte do meu ego, e depois de pensar por duas semanas acho que finalmente cheguei a uma conclusão: sim, eu compartilho isso por mim, porque quando o outro se sente feliz, eu me sinto bem demais, mas também quero escrever isso pelo outro, que pode ser ajudado por você ao ler o post. 


{para ouvir enquanto lê}

Eu absolutamente amo poder dar alguma coisa para alguém. Eu sou do tipo que compra presente adiantado (confissão: já comprei todos os meus presentes de natal… correio, me ame e entregue o que ainda falta), que gosta de pensar no presente do aniversário dos amigos (#Dany2015 já começou hahaha), que acha que formatura tem que ter coisinhas também. Então se você me pede para levar algo em alguma comunhão ou me pede ajuda para servir, limpar, jogar água, fazer vídeo, eu me sinto verdadeiramente feliz. Porque eu estou dizendo isso? Bem, para você entender que na minha escala de felicidade, onde o 0 é estar do lado de quem faz barraco em loja e 10 é dar presentes para quem eu amo, praticamente 12 é doar para quem eu não conheço, mas que irá construir uma vida melhor com aquilo.

E foi assim que eu encontrei o projeto Pais Adotivos da Educação, da nossa pastora na África Ana Maria Lima. Ele juntou duas coisas muito importantes para mim: missões e educação. Um projeto que pensa no amanhã e isso é essencial, porque eu sou daquelas que passa por alguma pessoa que vive na rua e volta com comida para deixar por perto quando ele estiver dormindo, o que vai resolver um pedacinho do problema dele, mas como não é uma ação efetiva ao longo dos anos é algo muito pequeno. O Pais Adotivos da Educação, no entanto, me apresentou a possibilidade de investir em uma criança constantemente e saber que isso está proporcionando um futuro de crescimento para ela.

Deixa eu explicar melhor, o projeto ajuda no custeio de crianças na Escola Nesher, em Guiné Bissau, na África. Cada pai e mãe adotivo é responsável por uma criança durante um ano, doando mensalmente em uma conta do Banco do Brasil. Antes de continuarmos, gostaria que você assistisse ( de verdade!) um vídeo rápido que fiz sobre a igreja de Guiné Bissau e sobre o projeto Pais Adotivos da Educação:

Como não ficar apaixonado por essa obra, pela alfabetização das crianças e pela movimentação do reino? Quando penso na pastora Ana Maria meu coração se enche de amor, daqueles quase líquidos, que escorrem feito chocolate que a gente esquece no sol. Que mulher! Quando conversei com ela, no Facebook, disse que orava por ela e a amava mesmo sem conhece-la, e é verdade, porque não é isso o reino dos céus? Quando Jesus nos chama de filhos e nós nos chamamos de irmãos não estamos nomeando uma relação que já existe em Deus? NÓS SOMOS UMA FAMÍLIA e família se ama e se ajuda.

Te digo uma coisa, seu coração vai se encher de uma alegria gigaaante se você entrar nesse projeto. Eu sei que ainda é pouco perto do que devemos fazer pelo outro, mas te prometo que a primeira vez que você pensar “cara, eu sou a mãe adotiva de alguém que eu nunca vi, mas amo tanto!” seu coração vai explodir de alegria! E não só porque eu sou a louca do Natal, mas porque nós somos feitos para isso: doar generosamente. Eu espero que Deus me ensine a conquistar mais recursos para conseguir doar mais, porém ter pouco nunca será, para mim, uma desculpa para que eu não doe agora.

paisadotivos_000000
Foto tirada do Facebook da pastora Ana Maria

Se você se interessou pelo projeto, mande uma mensagem para a pastora Ana Maria! Você pode ver as fotos das ações aqui (ah, a data da câmera está errada 🙂 )

Ore pelas missões e por aqueles que levam seus corações e o evangelho através delas.

João respondia: “Quem tem duas túnicas dê uma a quem não tem nenhuma; e quem tem comida faça o mesmo”.
Lucas 3:11

Deus é um cara galante (ou: Menina, pare de falar)

{não tem música aqui, porque ela já vem}

Lá estava eu, praticamente duas semanas atrás, em um encontro da igreja que chamamos de Revisão de Vida, tentando ouvir a voz de Deus de forma “séria”. Eu tenho escrito por aqui que Deus fala e depois de algumas experiências com Ele (leia alguns posts abaixo 🙂 ), queria ouvir Dele outra palavra com todas as letras – sim: vogal, consoante, coisa séria. A verdade é que mesmo tendo muitas coisas para saber do Eterno, eu queria mesmo era ficar com Ele. Me sentir pertinho…

– Deus eu preciso falar com o Senhor agora.

Ele deve ter pensado algo do tipo: “uai, menina, então fala”.

Eu me apressei para terminar as atividades das quais estava encarregada e fui para trás dos alojamentos em busca de um lugar sem ninguém e com sombra (Goiás, amigos, sombra é necessária hehehe). Assim que fechei os olhos, comecei a perguntar um monte de coisas em meu melhor estilo metralhadora fulminante.

O Eterno deve ter dado uma respirada. Ele tem me ensinado que, às vezes, eu não consigo escuta-Lo por que fico feito uma louca falando. É sério.

Tempos atrás, me peguei falando “Deus, por favor, eu preciso ouvir o que o Senhor pensa sobre isso” tantas vezes durante dez minutos que Ele simplesmente limpou a garganta e falou:

– Então pare de falar tanto e ouça.

Depois de bombardeá-Lo ali, atrás dos quartos, respirei e resolvi começar de novo. Coloquei uma música no meu celular (espero que baixa, qualquer coisa: desculpa, gentes) e fiquei ali, de pé, ouvindo a Steffany Frizzell, em completo silêncio por um segundinho:

E sua voz veio, macia e quentinha:

– Vamos dançar?

Eu ri.

– Deus… O Senhor está falando sério? Eu sei que a música fala de dançar, mas nem precisa… Sério? Ok…

Eu tinha certeza de que alguém chegaria naquele momento procurando sei lá o quê atrás daqueles dormitórios, mas por um milésimo nada importou e eu só disse sim.

E fiz uma pose de dança de salão, colocando suas mãos nas minhas, imaginando a diferença do toque onde os buracos feitos pelos pregos estão, e rodei algumas vezes, enquanto contava três passinhos de cá e três de lá.

Nenhum dos três – Jesus, Espírito ou o Pai – pisou no meu pé (eu me desculpo se o inverso da frase não for verdadeiro hahahaha), Eles são galantes como todos os atores que contracenaram com a linda da Audrey Hepburn.

Mais do que a dança, Deus estava, outra vez, me ensinando: tem hora que não se deve falar tanto assim, menina, só aproveite minha presença e meu sussurro.

PS: por que não parecer estranho dançando sozinho para conhecer outra uma parte doce Dele? Tenteddragontattoo4

Aquela versão mineira de Deus

       “Ó Deus, não te emudeças; não fiques em silêncio nem te detenhas, ó Deus.”

                              Salmos 83:1


         {Ouça dona Lorena Mineira Chaves enquanto lê}

Tem dias que Deus não fala gritando, mas você sabe que Ele está ali, meio calado, olhando tudo, como um bom mineiro.

– Trouxe pão de queijo, Deus?

Ele não respondeu, contudo ouvi a risadinha quando eu o imaginei em frente das casinhas históricas de Minas trocando a câmera do celular para a frontal.

No dia que Deus se torna seu Gerais, eu já sei que Ele vai ficar um pouco sério, por isso não demoro em dizer que não podia amá-Lo mais, porque mineiro tem coração mole e logo logo não resiste.

– Posso pedir para você falar com aquele sotaque bom, meio cantado?

– Não exagera, Natânia.

– Ahá! Olha o sotaque aí!

Ele ri e me ensina que pode falar de vários jeitos, até quando não quer falar tanto.

pão

PS:. Procê, Deus, boa noite:

Ele cura seu físico (e dos seus amigos e dos seus pais e dos…)

{para ouvir enquanto lê}

Meus últimos posts têm falado do amor de Deus e do grande e absoluto fato de que Ele fala.

– E o que cura física tem a ver com tudo isso, Natânia? – Bem… tudo.

Alguns amigos têm vivido situações difíceis de enfermidade na família, e das minhas orações por seus pais surgiu esse post. Se você que me lê tem passado por algo parecido, eu quero começar te dando toda a certeza do mundo: o seu Deus cura.

Quando eu prego sobre cura para as pessoas, eu prego sobre a cura que o Senhor derramou na minha casa. É engraçado como as pessoas se aproximam de nós como uma situação parecida com aquela que já vivenciamos… Deus sabe de tudo. O fato é que o que estou escrevendo não é teórico, eu vi acontecer e mais uma vez reforço: o seu Deus cura. E Ele o faz através do amor e da fala.

Há alguns anos meu pai foi diagnosticado com uma doença degenerativa e a notícia que nós tivemos é ele é que ele não iria conseguir se recuperar. Mas eu não quero que você escute só a minha versão da história, veja meu pai, seu Tone, contando o seu testemunho de cura:

Ouvindo meu pai eu só consigo pensar em amor e fala.

Deus ama: Ele não nos abandona e sempre faz questão de nos mostrar que nos ama.

Deus fala:  o que Ele nos diz nos dá esperança para continuar.

Quando recebemos do amor de Deus, o nosso medo vai diminuindo. A palavra Dele já diz: “No amor não há medo; ao contrário o perfeito amor expulsa o medo, porque o medo supõe castigo. Aquele que tem medo não está aperfeiçoado no amor.”. O amor nos mostra que nossos problemas não são castigo (Deus não te dá uma sentença de enfermidade, não!). E, claro, o amor de Deus cura. Foi ele que levou Jesus para a cruz, e a cruz é a resposta para tudo.

“Certamente Ele tomou sobre si as nossas enfermidades e sobre si levou as nossas doenças.”

Isaías 53:4-5

Joyce Meyer escreveu em seu livro Reduze-me ao amor (leia e se apaixone pelo amor de Deus!) que nossa fé atua através do amor. “Só podemos depositar fé em Deus se estivermos seguros de que Ele nos ama. […] Nossa caminhada pessoal em amor nos dá confiança diante de Deus e nos capacita a receber dele o que pedimos em oração”. Quanto mais entendemos de amor, entendemos de cura. E entender de amor não é sentir arrepios, mas ter a convicção de que porque Ele é como Ele é, nunca nos deixará. Qual é a lógica de sermos comprados por um preço inestimável – calculado nas gotas de sangue de Jesus – se não for para sermos sarados? O amor traz a vida abundante de Deus.

Ouvir a voz de Deus é tão importante quanto compreender seu amor, porque ela nos ajuda a nos mantermos sempre vigilantes e não deixar que os pensamentos de impossibilidade cruzem nossa mente. A voz do Pai também promove a esperança em nós. Quando meu pai não estava conseguindo ir para a igreja, eu perguntei a Deus o que iria acontecer e eu senti, depois de alguns meses de oração:

– Ele vai ficar bem.

Tempos depois, eu pude ver, através do Espírito, coisas sendo puxadas dos músculos das pernas do meu pai e essa forma de conversa (através de imagens embaçadinhas) me deu mais esperança.

Alegrem-se na esperança, sejam pacientes na tribulação, perseverem na oração.
Romanos 12:12

Eu gostaria de orar por você hoje, derramando o que Ele me deu nesse processo sobre você:

Senhor, eu ministro confiança agora sobre aqueles que estão lendo este texto. A sua palavra é clara quando diz que a cruz levou nossas enfermidades, que a nossa mente e o nosso entendimento consigam entender o tamanho do seu amor e, assim, tomar posse da promessa que você nos fez. A Bíblia diz em Tiago que a oração feita com fé salva o doente e que o Senhor dá saúde e traz o perdão para os pecados. Nos cremos nisso! Que a ministração de cura que foi liberada sobre a minha casa seja liberada agora na vida daqueles que estão clamando por ela! Eu oro pelos meus amigos e colegas que tem pedido por uma restauração na saúde de seus familiares. O Senhor pode dar novos fígados, rins, corações, veias, músculos e o que mais o seu povo colocar em sua presença. Deus, nós já te agradecemos, porque a palavra não nos diz que nós seriamos curados no futuro, mas que já fomos sarados e que ele já levou nossas enfermidades. Que a realidade do reino se torne viva aqui na terra. Nós oramos e agradecemos no nome de Jesus, amém. 

healer

O dia que Deus colocou um pano que tremia no meu telhado

{Para ouvir enquanto lê}

Esse post vai crescer e virar um vídeo, que fará parte do novo desafio que o Senhor tem me dado durante esta semana. E eu torço para que ele transforme sua mente como fez comigo. Enquanto o vídeo e o desafio não aparecem por aqui, queria deixar um pedaço da minha noite de ontem.

Eu estava ouvindo uma palavra no Worship U (outra coisa que merece um post!), uma plataforma de escola de adoração ABSOLUTAMENTE INCRÍVEL da Bethel, ministrada pela Christa Black, quando ela e seu esposo nos desafiaram a entrar em uma atmosfera de conexão com Deus. Se vocês conhecem a Bethel sabem que eles são muito intensos e que a maioria das pessoas (incluindo a que vos escreve) que vai atrás de conteúdo deles quer entender esse mover e mais do que isso: sentir esse tipo urgente de evangelho e a presença constante do Espírito de Deus.

Então, assim que a ministração acabou, eu fechei meus olhos estirada na cama, no meio do calor desumano que Goiânia tem conhecido, e pedi que o Senhor falasse comigo. Durante a “lesson”, como as aulas são intituladas no site, Christa pregou que você não precisa retroceder quando o assunto é falar com Deus, você deve sempre retornar na sua MAIOR experiência com Ele e continuar dali. Imediatamente me lembrei de uma das experiências com Deus que mais gosto: um sonho em que eu podia literalmente sentir a presença do espírito e ver ela se transformar em cores e no sol se pondo e pessoas flutuando.

Com as palmas das mãos viradas para cima, mas ainda encostadas no colchão, cantando (baixo porque tenho vizinhos e família e já eram duas da manhã, hehehe) e orando pude ouvir o espírito dizendo que naquela mesma posição em que tantas vezes já havia sofrido opressões, ele iria falar comigo. Opressões-o-quê? Bem, você já sonhou que estava sendo esmagado e não conseguia falar e ao acordar não conseguia se mexer? Isso, amigo, é um tipo de opressão. Eu acordei várias vezes com esses mesmos sintomas, com o adicional (de calda e mais ovomaltine) das frases que pulavam na minha cabeça: Quem você vai chamar? Você não consegue chamar ninguém.

Mas Jesus veio para mudar nossa sorte. Toda ela.

Ele me mostrou um pano branco que tremulava sem vento nenhum, e esse pano se transformou nesse imenso amontoado de tecido, que às vezes ficava quase transparente, cobrindo todo o telhado da minha casa. Tremeluzindo, como se acompanhasse o ritmo de uma fogueira, como se estivesse usando um vento que vinha direto das praias nordestinas desse Brasil-de-meodeos para vibrar acima da minha casa.

– Eu virei sobre toda a sua casa essa noite, por que você invocou meu nome. Sobre todos os cômodos.

Eu tenho orado pela minha casa, minha família, de forma mais intensa durante esses dias e no momento em que o Senhor disse isso eu tive aquela sensação maravilhosa: Ele me escutou. É claro que Ele nos escuta. Todos nós sabemos disso. Entretanto, se descobrirmos como ele ama sempre dizer que seus ouvidos estão inclinados para a terra, esperando que clamemos pela graça do trono, se descobrirmos o quanto podemos chamá-Lo durante o dia, ah, se nos descobrirmos…

Eu gostaria de te incentivar a buscá-Lo hoje. Se você está lendo isso, cara, eu tenho uma novidade para você: se prepare para a atmosfera do impossível. Imagine o cenário mais impossível no qual você poderia se encontrar com Jesus?

ELE É SEU.

Eu já me chateei várias vezes querendo que Deus falasse comigo sobre uma determinada coisa ou outra, ontem eu aprendi que se eu buscá-Lo eu não terei que chorar pelas respostas, porque todas elas vem com o dono delas.

– Se alguém me busca, por que eu não iria me entregar? – Ele me perguntou antes que toda essa experiência começasse, durante a tarde, quando eu ainda estava limpando minha casa (se eu fosse escrever um livro hoje, ele provavelmente se chamaria Chorando com o rodo na mão, hahaha).

Se você tem sentido que deve procurar por Ele, o caminho está aberto. Feche os olhos e imagine Jesus (juro que fica mais fácil!), o cumprimente, segure sua mão, e então escute, veja, sinta, ponha seus pés na experiência do céu. Ela é sua. E se algum pensamento de não merecimento te afligir, se lembre da cruz, toque no sangue que nunca seca sobre sua cabeça. Sempre quente, sempre poderoso.

pray

Amando as falhas

{Para dançar enquanto lê}

Se você procura alguma parte perfeita da vida para amar, já começo o texto me desculpando, porque olha: você não vai achar não.

Este texto nasceu na minha área de lavar, eu estava sentada atrás do armário de produto de limpeza pensando se mais alguma coisa poderia possivelmente dar errado.

A vida não é perfeita. As pessoas não são perfeitas. Às vezes, nem os finais dos livros.

Aprender a lidar com isso, para mim, tem acontecido de duas formas. A primeira delas é desconstruir toda a necessidade de estar sempre bem resolvida com a vida. Toda a ideia de perfeição que cerca nossos imaginários, em especial imaginários femininos e cristãos.

“Todo mundo tem alguma coisa errada”, uma amiga vive dizendo e eu acho que é isso mesmo. Obviamente, tem gente que é mais arrumado internamente do que os outros, mas mesmo assim, se esforçar em ser perfeito, humanamente falando, deixa a alma da gente tão cansada, que uma hora racha e você liga aquele botão do “não estou nem aí, vou fazer tudo errado mesmo” e descamba vai para o extremo errado da coisa.

Hoje, se eu pudesse dizer algo para alguém tentando muito – mesmo! – seria algo como: pare de se esforçar para não derramar nada. Quando eu tinha meus 12 anos eu costumava dizer para mim mesma: NÃO DERRAMA NENHUMA GOTA DESSE POTE. Basicamente, eu estava tentando continuar a viver com a aparência de pote seco, mesmo estando bem encharcada por dentro. Meu mecanismo natural, minha sinapse acomodada, meu caminho mais fácil.

Mas uma hora o pote derrama e você se choca, porque tinha realmente acreditado que ia conseguir não derramar. “Eu tenho tudo sobre controle”. A gente começa a acreditar que tem uma força sobrenatural para aguentar nossas próprias idiotices, mas não tem não. Até a nossa imagem forçada de perfeição é imperfeita.

E está tudo bem, depois que pinga é só limpar.

Contudo, se tiver muita coisa para derramar, devo advertir que dá mais trabalho (já precisei de uns 6 panos hehehe). Melhor virar o pote enquanto tem pouca coisa.

Depois que você se assusta com o molhado e que  escuta coisas do tipo “mas fulana é assim?”, você já está pronto para escolher quem vai limpar o chão com você. Eu tenho um amigo fiel que sempre me ajudou e, no ensino médio, ganhei uma versão humana de uma amiga fidelíssima.

Esses amigos não vão fazer uma extreme makeover para te transformar em pseudoperfeito de novo, eles vão te mostrar que você é suficiente. E não sei se tem sentimento melhor na vida do que ser suficiente, não é todo dia que a gente acorda assim (flawless HAHAHAHA), mas quando acordamos é tiro e queda: não dá um pinguinho de vontade de voltar a segurar o pote cheio de novo.

Não tem nada melhor do que saber que você é assim e não assado. Sabe aquele sentimento de dizer sem culpa nenhuma “pois é, eu fiz isso” quando alguém tenta te enfrentar com alguma besteira que você fez?

Você nunca será perfeito, mas sempre suficiente.

Esse primeiro passo (nossa, já falei tudo isso e ainda estou no meu primeiro passo, SOS!) te deixa mais confortável para conhecer o que você gosta, não gosta, quem você é e quem não é (e o melhor: saber que agradar algumas pessoas simplesmente não faz parte da sua descrição de trabalho nesta terra). E, para alegria geral, as pessoas vão entendendo isso também.

Há algumas semanas fui a uma livraria na hora do almoço, depois de corrigir algumas provas, e o vendedor me perguntou: “hoje você vai tomar um café, não vai?”, logo depois de anotar meus pontos, apontando para a cafeteria em frente à loja. Quando perguntei como ele podia saber disso (quase com voz de moço-não-me-assusta-por-favor), ele respondeu que eu tomava quando “tava com cara de mais para lá do que para cá”.

Ri disso uns dez minutos, porque saber de você é deixar que os outros saibam. (Moço da livraria, caso você seja um stalker: já quero um estoque do mistério novo da JK e não é café, é capuccino hehehe)

É claro que não estou dizendo que todo mundo vai saber de cada problema em que você se meteu na vida, mas se alguém souber: e d-a-í? O conselho que eu tenho me dado é que sanidade é incrivelmente melhor do que uma imagem fictícia.

Você não é perfeito, eu não sou perfeita, mas quer saber, amar as falhas é o que nos mantêm quentes.

Entendendo isso, o segundo passo é entender que a vida é tão imperfeita quanto nós. Não importa o quanto você tenha se dedicado para dar tudo certo. Não importa o quanto você tenha estudado para algo, às vezes você termina odiando aquilo. E aí, amigo, se você não ama as falhas, você enlouquece. Você levanta no meio da noite respirando esquisito e chorando. Você vai para trás do armário da lavanderia.

Eu tenho tentando amar (ou pelo menos não odiar-com-todas-as-minhas-forças) as falhas da minha vida. Não consegui entrar em um projeto da ONU? Ok, mas achei uma instituição que posso doar meu dinheiro e ver toda semana no meu email a criança mais linda do mundo crescendo um pouquinho melhor por causa de uma contribuição. Eu estou literalmente apaixonada por essa falha, que me deu uma menininha de 5 anos de cabelos enrolados como os meus.

A vida pode ser bastante complicada, um dia você acorda e descobre que seus planos não deram certo. Que alguém querido ficou ~~chocado~~ com o tipo de coisa que você é capaz de fazer. Nesses dias, ame a falha mais improvável e torça para que ela te dê exatamente o que o seu coração precisa para andar mais uma milha.

Daqui eu torço para que seu coração fique quente até o próximo dia, e se ninguém te disse isso hoje, eu digo: você é suficiente. E imperfeição nenhuma pode dizer o contrário, por que, bem… Por que não, oras! E se ficarem insistindo, um conselho final, vá ser você em outro lugar (dica: pode ser bem pertinho de mim).

you-are-enough-2